Neverland m.clara1@hotmail.com não também não

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Lolitices da Wendy?

 
 
  Comparando duas personagens completamente diferentes. Wendy e Lolita. Gosto imensamente de ambas, entretanto, perguntei-me o que teriam de diferente e em comum para que, mesmo assim, ainda permanecesse a gostar delas.
  Lolita é uma garota com atitudes e gestos que misturam a mulher e a criança que é. Ela tenta ser mais adulta do que é, mas tem dentro de si uma eterna infante.
  Wendy é uma menina cheia de vida que, influenciada por Peter, não quer crescer. Entretanto, ela tem uma personalidade maternal e madura para sua idade, e, no fundo de seu coração, tem um desejo oculto de crescer e exercer a mãe e adulta que há em seu ser. Apesar disso, Wendy tem em sua pessoa  um fator que não pôde deixar para trás nem mesmo depois de crescer, a criança dentro de si.
  Por minha admiração por ambas as personagens e as diferenças e semelhanças que são um pouco difíceis de enxergar, mas que, apesar disso, ainda estão lá.

domingo, 15 de junho de 2014

Fanfictions

 
 
  Só para introduzir decentemente, fanfictions são histórias que fãs ou admiradores escrevem a partir de obras já existentes, sejam estas livros, filmes, séries, jogos ou até mesmo pessoas reais – embora esta última seja mais polêmica e “perigosa” de se fazer.
  A intenção desse post é ajudar novos autores a se introduzirem no meio e incentivar autores com block criativo ou em busca de estímulo.

  Inicialmente, é interessante escrever uma fanfic sobre algo que você gosta – até porque é um hobbie - e entende bastante – o que evita furos na narração. É válido escrever a fic inteira antes de postar, aproveitando o ritmo e empolgação, além do que você pode conferir e ver se há falhas. Ou escrever aos poucos e postar capítulo por capítulo, desta forma os leitores podem interagir e ajudar a montar a história.

  Ideia na cabeça ou fic pronta, agora é só postar. Há alguns sites como o fanfiction.net que são referência no meio, porém tem a maioria das histórias em inglês, e o Nyah! Fanfiction, que é uma versão brasileira. Há versões alternativas como o Social Spirit, onde os leitores interagem bem mais e de forma mais veloz que no Nyah!. Entretanto, a grande maioria dos inscritos do Spirit é fã de animes, apesar de exceções. E alguns autores tendem a lever este último site menos a sério. Também há a opção de postar em um blog, assim fica algo mais individualizado.

  Para quem prefere as interativas, onde você escolhe o nome dos personagens, a Fanfic Obsession é uma boa escolha, embora esteja em reforma há algum tempo – com suposta previsão pára retorno no dia 15 desse mês -, até alguns dias atrás as fics mais famosas estavam disponíveis para leitura. Não tenho conta neste site e nãos ei exatamente como proceder para enviar uma história, mas creio que quando o site voltar ao ar haja algo como um fórum para explicar tudo. Assim que eu puder, crio uma conta no Fanfic Obsession e posto algo falando mais sobre. Esse é um post bem básico mesmo.

  Sobre fics interativas, há dois tipos delas: as que a história e os personagens já estão formados e você só escolhe o nome destes – como as do Fanfic Obsession – e as que os leitores enviam as fichas com personagens de sua criação e o autor monta a história ao redor destes – que você encontra nos outros sites. A última opção é bem interessante também, pois é divertido ver seu personagem se desenvolver de uma forma inesperada. Entretanto não são todos os autores que sabem trabalhar bem com eles, por isso indico que dê uma olhada nas outras histórias do autor antes de enviar a ficha.

  As fanfics podem ser divididas basicamente em short e long fic, que são definidas pelo tamanho da história. Eu, particularmente, nunca escrevi uma shortfic, pois geralmente minhas histórias não fazem muito sentido sem todo um contexto, ainda que a vontade de fazê-la seja grande.

 
 
  Uma boa capa, nome atrativo e sinopse boa interessam os leitores. A capa não precisa nem ser photoshopada, pode ser uma imagem simples, mas que tenha a ver com a situação da história. Nomes longos dificultam a memorização do leitor, que dificilmente vai lembrar-se dela na hora de buscar para continuar a leitura. E a sinopse é o que vai fazer as pessoas se interessarem em ler ao menos o primeiro capítulo. Logo, “sinopse lixo, a história é melhor”, “não sei fazer sinopse” e coisas do tipo, afastam leitores. Preocupe-se em deixá-la com a base inicial da fanfic, mas com certo suspense sobre o rumo da história.

  Todo bom autor, também é leitor. Logo, quando ver a obra de alguém, comente, fale sobre os pontos positivos e negativos de forma sutil. Assim você também usa esses pontos para seu próprio desenvolvimento e ajuda e estimula o autor.

  Alguns sites ou fan clubes fazem desafios de fanfics, onde os fãs tem uma base de história, mas cada um desenvolve a sua maneira. Acho uma proposta maravilhosa, embora eu não conheça nenhum site específico que o faça para indicar – se alguém souber, por favor, comunique-me.

  Uma dica para não desanimar da história é escrever sempre dois capítulos de uma vez e postar apenas um deles, deixando o outro para a próxima vez. Assim, você não se sente muito pressionado com prazos. Aliás, quem define prazos para escrever é o autor, não deixe que os leitores lhe pressionem com ameaças, porque o válido é a história sair com qualidade. Também vale lembrar que não é só porque é como uma brincadeira que você deve escrever de qualquer forma. Leitores gostam de ler textos com sentido, contexto e sem erros. Alguns sites, inclusive, excluem as histórias com muitos erros gramaticais. Lembrem-se sempre de conferir o regulamento do site no qual está postando.

  Procure nunca deixar  para escrever depois, pois  a imaginação e a disposição escapam-lhe pelas frestas dos dedos.

  Basicamente, é isso. Boa sorte e ânimo.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Sobre o Ultraviolence


 
  Creio que todos os fãs da Lana já estejam cientes de que o álbum vazou. Não é ético ouvir ou baixar antes do lançamento oficial, mas confessemos que a curiosidade estava muito grande. Até agora, eu só ouvi e analisei as músicas, mas estou ansiosa para adquirir o álbum - que está lindo em muitos aspectos.
  Assim que soube do álbum e de seu nome, minhas expectativas não foram das melhores e não fiquei muito curiosa sobre. Imaginei que a cantora investiria bastante em solos de guitarra e coisas do tipo - o que não é ruim, porém que foge de seu estilo. Entretanto, apesar de ter mais som de guitarra do que o Born To Die, as letras das músicas, o ritmo e os seus próprios pensamentos se sobressaem.
  Conforme as músicas, photoshoots e "degustações" musicais foram saindo, minhas expectativas foram crescendo, assim como a ansiedade. Aliás, as photoshoots de Ultraviolence ficaram extraordinárias! Um deleite para os fãs. Apesar disso, a capa foi considerada fraca por muitos desses - inclusive por mim, inicialmente - que esperavam algo forte e intenso para ser compatível com o título. Muitos fizeram versões alternativas tão bem feitas que me fizeram até questionar se não eram oficiais também. Apesar disso, após escutar as músicas, o álbum tem todo um contexto, mas o analisador deve ser bem perceptivo.
  Se você achou o último álbum depressivo, muito lento ou sonolento, possivelmente não vai gostar de Ultraviolence, mas não custa tentar ouvir algumas faixas. Sobre estas vou citar a ordem, fazer um pequeno comentário sobre e colocar meu trecho favorito para dar uma ideia sobre cada música. Minhas favoritas por enquanto estão em negrito.

Capa oficial


1. Cruel World
  Introdução incrível, refrão com ritmo abrasador.
  "That's no more that I can do, you're so famous now."

2. Ultraviolence
  Minha favorita do álbum. Não vejo letra tão perfeita há muito tempo. Merece totalmente ser título do álbum.
  "I love you the firts time. I love you the last time. Yo soy la princesa, compreende mi sueños. 'Cause I'm your jazz singer, and you're my cult leader. I love you forever. I love you forever."

3. Shades Of Cool
  Quando ouvi pela primeira vez, não tive muitas boas impressões. Mas ao associar ritmo-letra, é de apaixonar. Muito triste também.
  "Cool heart and hands and aptitude."

4. Brooklyn Baby
  Tem uma introdução que me lembra comerciais, mas a música em si é um doce. Refrão viciante e ecos "destruidores".
  "They say I'm too young to love you."

5. West Coast
  Inicialmente, achei que não era o que eu esperava e não simpatizei. Mas logo após, eu estava cantando em todos os lugares. Sobre o clipe, eu achei bastante interessante, mas sem nexo no início. Mas, conhecendo algumas outras músicas da cantora, faz muito sentido. Uma das mais animadas do álbum. Viciante.
  "Down on the West Coast, I got that feeling like it all could happen. That's why I'm leaving you for the moment."

6. Sad Girl
  É exatamente como você vai se sentir ao terminar de escutar o álbum.
  "He got the fire and he walks with the fame."

7. Pretty When You Cry
  Essa era uma das músicas que eu mais tive expectativas, talvez por isso eu me decepcionei um pouco. Acho que é a mais lenta do álbum, mas  a letra é muito boa.
  "I'm stronger than all my men. Except for you."

8. Money Power Glory
  Esse não é o tipo de letra que eu gosto, mas o estilo da música é muito bom, e se interpretada de outra forma, é maravilhosa assim como todas as outras.
  "Dope and diamonds."

9. Fucked My Way Up To The Top
  O estilo lembra bastante de outros projetos da Lana Del Rey, o que foi ideal para mim.
  "Lay me down tonight in my diamonds and pearls."

10. Old Money
  A mais triste de todas, mas tem uma letra tão linda que é de fazer chorar. Maravilhosa.
  "I'll run to you. I'll come."

11. The Other Woman
  Encerra o álbum fantasticamente, e faz uma referência mais clara à Lolita com "old man" - fator que eu senti muita falta no álbum, mas que se procurar com perícia, achará. O estilo dá música é meio retrô e é muitíssimo agradável.
  "And when her old man comes to call, he'll find her waiting like a Lonesome Queen."










domingo, 8 de junho de 2014

Resenha de Lolita: Livro e Filme (1997)

Livro:
  A edição que eu li era azul bebê, sem imagem alguma na capa dura. Não coloquei imagem dela justamente por ser só uma capa simples azul e de boa textura.
  Lolita é um livro difícil de classificar, depende do referencial, mas eu classificaria como drama com algumas cenas de romance. Não recomendo a leitura se você não for mentalmente maduro ou esperar um romance adorável.
  É basicamente sobre um pedófilo - prove-me que ele não é - que se apaixona por uma garota, também chamada de ninfeta, de 12 anos. Ao contrário do que muitos pensam, Humbert é completamente doente, pois ele não somente tem atração por sua amadas ninfetas, como também abusa 'discretamente' delas. Entretanto, quando Dolores Haze aparece em sua vida, todas as outras ninfetas parecem básicas e sem nada em especial.
  Lolita é uma personagem com um psicológico muito interessante. É uma pré-adolescente que se sente pronta para demonstrar seu potencial adulto, maa com uma alma infantil inigualável.
  Houve momentos em que tive um desprezo absurdo por Humbert, em outros pena e até compreensão. Para não detestá-lo, tentei imaginá-lo com diferentes rostos, mas por fim a priemeira imagem dele persistiu.
  A partir do meio do livro, Humbert fica psicótico com uma suposta perseguição, e há no mínimo umas 100 páginas com seus surtos e fugas - o que acredito que poderia ser reduzido pois é a parte mais chata do livro.
  Vladmir Nabokov escreve de uma forma que faz com que você se importe em se por no lugar da personagens, o que faz com que a leitura seja muito produtiva, mas tambèm um pouco pesada.
  Apesar dos pesares, é um livro que gosto muito mesmo e que influenciou e influencia muitas pessoas. É um livro recomendável.



Filme:




  A ideia é basicamente a mesma. Aliás, é um filme muito fiel e excelente. Por não destacar muito a psicose e insanidade de Humbert, você tende a não ter raiva dele. O ator de Humbert ficou idêntico ao que imaginei e a Lolita ultrapassa expectativas. A coisa mais desnecessária, creio eu, foi uma nudez no final do filme, mas é possível desprezá-la.
  O filme possui cenas icônicas e marcantes e vale super a pena assistir. É doentiamente bom.

Popular Posts

Atualizações

  • Born To Ultraviolence será postada agora no Wattpad.
  • Capítulo 2 de Crybaby no Wattpad.
  • The Moon Over Me finalizada no Nyah!
  • The Moon Over Me está também disponível no Social Spirit.
  • Another Dead e Clever foram excluídas.

Unordered List

Tecnologia do Blogger.

Seguidores