Neverland m.clara1@hotmail.com não também não

domingo, 28 de junho de 2015

TBR da Maratona Literária de Inverno 2015

Link permanente da imagem incorporada
 
 
  Faltando pouco mais de uma semana está na hora de divulgar a minha pretenciosa TBR. Então, para começar, decidi dividir a postagem pelos requisitos dos desafios.
 
- Um livro com figuras ou ilustrações e Um livro com a capa azul
 
  O principal desse desafio é o humilde e querido Amizade com ilustrações e trechos de O Pequeno Príncipe referente à amizade. Foi um presentinho que ganhei no meu aniversário de 15 anos de um bom amigo e nunca tive coragem de ler por ser muito pequenininho.
  Além dele, essa ediçãozinha pocket de capa azul de Peter Pan (que não poderia faltar na maratona) também contém ilustrações lindas e maravilhosas.
 

- Comece e/ou termine uma série, trilogia ou duologia e Um livro com mais de 400 páginas
 
  A Tormenta das Espadas cumpre muito bem esses dois requisitos, já que tem bem mais que 400 páginas e vai me fazer dar andamento a série das Crônicas de Gelo e Fogo.
 

- Um livro que alguém escolheu por você e Um livro que já virou ou vai virar uma adaptação cinematográfica
 
  Vidas Secas - que tem uma adaptação cinematográfica - foi um dos primeiros livros que minha mãe me incentivou a ler. Infelizmente, nunca completei a leitura, pois na época que comecei a ser eu tinha apenas oito anos e não tinha maturidade para compreender. Lembro-me que tudo o que eu conseguia pensar era como eu tinha pena da pobre cadela. Talvez a pena continue, mas a compreensão dessa leitura agora será mais completa.


- Um livro do gênero que você menos leu ano passado
 
  1984 é uma distopia de ponta, gênero que não li em 2014.
 

- Um livro que você ganhou
 
  Washington Square tentou entrar na última maratona, mas nem consegui pegar nele para ler. Dessa vez vai, afinal, se enquadra em um requisito do desafio, já que minha tia me deu, e também por ser bem fininho.
 
 
  Sobre as semanas temáticas, não sei bem até que ponto vou participar. O que quero dizer é que, como vocês puderam ver, não há thrillers, mistérios ou suspenses para eu ler na segunda semana. Porém, nas outras semanas, eu vou tentar acompanhar sim. Além disso, como já foi esclarecido na FAQ da maratona, as semanas temáticas não contam pontos ou sorteios, mas auxiliam na interação dos participantes.
  Agora falta menos do que faltava e a ansiedade está grande. Inscreva-se que ainda dá tempo!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sobre o Froot



Go see Marina and the Diamonds' FROOT Deluxe Signed CD Album



  Demorei um pouquinho para falar sobre o álbum da Marina, mas aqui está.
  Para quem está acostumado com o Electra Heart se prepare porque está bem diferente. Ele tem uma pegada bem "voltei do poço" e "tudo vai ficar bem". Isso é algo sobre a Marinão: ela gosta de experimentar e o faz com maestria. A cada projeto ela amadurece mais e mais e deixa claro que não quer ser apenas um rosto para a mídia e sim uma cantora capaz de um conjunto musical bem pensados.



1. Happy
   Apesar do ritmo triste, a letra é bastante positiva.

  "I found what I’d been looking for in myself."


2. Froot
  É simplesmente a minha favorita. Mereceu completamente ser a música com o nome do álbum. Tem um estilo meio disco e o videoclipe ficou ponta de linha. A letra é cheia de múltiplos sentidos, é além de ser muito bem formulada, ainda fica grudada na sua cabeça.

  "Living la dolce vita, life couldn’t get much sweeter... Don’t you give me a reason that it’s not the right season. Baby, I love you a lot. I’ll give you all I’ve got. Yeah, you know that it’s true. I’ve been saving all my summers for you."


3. I'm a Ruin
  Minha segunda favorita. Essa música faz com que muita gente se identifique principalmente que já terminou relacionamentos.O videoclipe também foi maravilhoso, e é muito artístico. Bem no finalzinho dele, há uma cena submarina que me conquistou de verdade. Acho até que se eles fizessem mais dessas cenas em baixo d'água, o clipe ficaria ainda melhor mas sou suspeita pra falar.
  Recuperando um pouco o último álbum, eu diria que é uma Electra se sentindo guilty após uma boa dose de How To Be a Heartbreaker.

  "I'll ruin, yeah I'll ruin you. I've been doing things I shouldn't do."



4. Blue
  Até agora, temos uma sucessão das minhas músicas favoritas. A música como conjunto é uma graça.

"Gimme love, gimme dreams, gimme a good self esteem! Gimme good and pure, what you waiting for?"


5. Forget
  Não tenho muitos comentários sobre, é uma canção bem objetiva.

  "Yeah, I've been dancing with the devil. I love that he pretends to care."


6. Gold
  A batida dessa é bem diferente e interessante.


  "Don't think I want what I used to want. Don't think I need what I used to need.  Don't think I want what I used to want.  Don't think I see what I used to see."
 

7. Can't Pin Me Down
  Essa é das que ficam na cabeça, principalmente por causa do backing vocal. E a letra é uma das mais críticas e inteligentes.

  "I am never gonna give you anything that you expect. You think I’m like the others, boy, you need to get your eyes checked."


8. Solitaire
  Uma bem depressiva não poderia faltar.

  "Hard like a rock, cold like a stone. White like a diamond, black like coal. Cut like a jewel, yeah I repair myself when you’re not there. Solitaire."


9. Better Than That
  O ritmo de Better Than That é bem interessante e segue a linha motivacional do álbum.

  "She’s the apple of everybody’s eye, with an angel voice. Devil in disguise. Got a sour face like a poisoned fruit that the boys can taste ’til they’re out of use."



10. Weeds
  Eu tenho uma relação engraçada com essa música, porque vivem dizendo que ela tende a parecer comigo. Discordava, mas aos poucos eu comecei a concordar. A letra é um amorzinho.

" It keeps coming back like a weed and when nothing feels enough at least you taught me how to love. But he keeps growing back..."


11. Savages
  Para mim, é uma das críticas mais tocantes.

  "I’m not afraid of God. I am afraid of man."



12. Immortal
  Toca em um tema bem delicado e deixa deprimido até quem estava bem.

"If I could buy forever at a price I would buy it twice."

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Maratona Literária de Inverno de 2015





  Mais uma Maratona Literária incrível criada e incentivada pelo canal do Youtube Geek Freak!
  Essa maratona tem um período de quase um mês (6 de julho - 3 de agosto), no qual aproveitaremos o clima agradável para alavancarmos nossas leituras! Obviamente, não é necessário que você leia por 24 horas, mas um esforcinho para ler mais é preciso.
  Além das interações nas redes sociais pela hashtag #MLI2015 , também haverá desafios que contarão pontos para os sorteios dos livros que o Victor sorteará com editoras parceiras. E a TBR também será temática para dinamizar os temas que os participantes lerão. Porém, esses temas não são obrigatórios, são sugestões para facilitar a interatividade. Segue logo abaixo a lista de desafios e temas.

DESAFIOS

- Um livro com figuras ou ilustrações
- Comece e/ou termine uma série, trilogia ou duologia
- Um livro que alguém escolheu por você
- Um livro que já virou ou vai virar uma adaptação cinematográfica
- Um livro com a capa azul
- Um livro do gênero que você menos leu ano passado
- Um livro que você ganhou
- Um livro com mais de 400 páginas


TBR TEMÁTICA

Semana 1: Fantasias, Distopias e/ou Ficção Científica
Semana 2: Thriller, Suspense e/ou Terror
Semana 3: YA Contemporâneo, Romance e/ou Drama
Semana 4: Livros nacionais


  Temos ainda pouco mais de uma semana para nos organizarmos para maratona. Então, comece assim que puder e vamos fazer isso juntos! Lembre-se de consultar todos os links úteis, participar nas redes sociais, fazer um post da sua TBR e se inscrever. ;)


Links Úteis

Vídeo do Geek Freak
FAQ da Maratona
Grupo da MLI 2015 no Facebook
Inscrição

Interaja comigo pelo Twitter :D

domingo, 21 de junho de 2015

Poesia da Semana #08

O Laço de Fita
Castro Alves
 
 
Não sabes, criança? 'Stou louco de amores...
Prendi meus afetos, formosa Pepita.
Mas onde? No templo, no espaço, nas névoas?!
Não rias, prendi-me
Num laço de fita.

Na selva sombria de tuas madeixas,
Nos negros cabelos da moça bonita,
Fingindo a serpente qu'enlaça a folhagem,
Formoso enroscava-se
O laço de fita.

Meu ser, que voava nas luzes da festa,
Qual pássaro bravo, que os ares agita,
Eu vi de repente cativo, submisso
Rolar prisioneiro
Num laço de fita.

E agora enleada na tênue cadeia
Debalde minh'alma se embate, se irrita...
O braço, que rompe cadeias de ferro,
Não quebra teus elos,
Ó laço de fita!

Meu Deus As falenas têm asas de opala,
Os astros se libram na plaga infinita.
Os anjos repousam nas penas brilhantes...
Mas tu... tens por asas
Um laço de fita.

Há pouco voavas na célere valsa,
Na valsa que anseia, que estua e palpita.
Por que é que tremeste? Não eram meus lábios...
Beijava-te apenas...
Teu laço de fita.

Mas ai! findo o baile, despindo os adornos
N'alcova onde a vela ciosa... crepita,
Talvez da cadeia libertes as tranças
Mas eu... fico preso
No laço de fita.

Pois bem! Quando um dia na sombra do vale
Abrirem-me a cova... formosa Pepita
Ao menos arranca meus louros da fronte,
E dá-me por c'roa...
Teu laço de fita.
 
 
OBS: Digamos que eu esteja um tanto apaixonada pela poesia de Castro Alves, então ele deve aparecer bastante pelas Poesias da Semana. Escolhi, para começar, minha poesia favorita dele, retirada de Espumaas Flutuantes.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Resenha de O Príncipe de Maquiavel


Link permanente da imagem incorporada






  Como pessoa de específica em história, sempre quis ler esse livro desde que ouvi falar sobre ele quando tinha uns treze anos. Entretanto, todos que leram sempre tentaram me desanimar e falavam muito mal. Insisti. E a palavra que pode resumir meu sentimento para com o livro é: decepção.
  Avisaram e avisaram, mas não apenas não ouvi como comprei ele em uma edição bonitinha da L&PM Pocket Premium, mas que de bonitinha só tem a capa dura e as folhas grossas, pois as inúmeras notas ficam no final e chega um momento em que você simplesmente cansa de ir lá atrás para ler.
  Faço minha resenha como uma leitora, não como intelectual (algo que não sou nem e esforçando muito), nem como pseudo cult. A verdade é que eu não gostei. Ritmo péssimo, expressões latinas inteiras jogadas no meio do livro, narrador entediante. Se eu fosse o príncipe, eu ia me sentir muito enfurecido por ter um cara tentando me ensinar a me portar.
  Tentei ainda tirar lições práticas para a vida no livro, mas muito pouco consegui. Talvez eu seja muito imatura para compreendê-lo, mas sinceramente não me agradou  não pretendo nem tentar ler de novo futuramente.
  Além disso, Maquiavel ainda fala coisas do tipo:


Link permanente da imagem incorporada


  Tudo bem que deve-se tentar colocar na época dele, em que as pessoas eram mais ignorantes etc. Mas se eu já não gostava dele como autor, não gosto mais como pessoa. Já dá até para entender porque chamam coisas muito ruins de maquiavélicas.


  Apesar dissonem todas as frases são de todo mal. E como sempre, vou postar as melhores aqui pelo final.

 "O príncipe deve ler os relatos da história e neles considerar as ações dos grandes homens; notar como comportaram-se nas guerras; examinar as razões das suas vitórias e das suas derrotas - para estas poder evitar e aquelas imitar [...]."

  "Todavia, a experiência nos faz ver que, nestes nossos tempos, os príncipes que mais se destacaram pouco se preocupam em honrar suas promessas; que, além disso, eles souberam com astúcia ludibriar a opinião pública; e que, por fim, ainda lograram vantagens sobre aqueles que basearam as suas condutas na lealdade."

  "O príncipe que mais teme ao povo que aos estrangeiros deve construir fortalezas, mas aquele a quem os estrangeiros atemorizam mais que a gente local não deve se preocupar com tais coisas."

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Resenha de Orgulho e Preconceito








Vintage
 
 
  Comprei uma edição simples da L&PM Pocket para ler e honrar uma meta do ano. Um fator que me desagradou muito nessa edição foi o texto introdutório escrito por Ivo Barroso. Ele faz um bom resumo da vida da autora, mas a primeira frase foi de cunho machista. Pode não ter sido a intenção, mas se eu fosse Jane Austen, eu me sentiria muito ofendida ao ler "Em 1817, falecia em Winchester, no condado de Hampshire, no sudeste da Inglaterra, uma frágil solteirona de 41 anos, de parcos dotes físicos [...]". Se um dia eu escrever um livro e morrer, prendam a pessoa que fez uma introdução como essa para mim.
  De qualquer forma, escolhi ler este livro simultaneamente com uma amiga minha, para comentarmos sobre e assim fazermos um mini clube do livro (?). Entretanto, ela foi mais compreensível do que eu com a crítica suave de Jane Austen. Eu entendo que para a época, ela revolucionou tudo etc., mas, pessoalmente falando, o livro não me impressionou.
  Em resumo, a obra fala sobre uma família inglesa com cinco filhas. O pai é irônico e inativo, a mãe é escandalosa e pouco controlada, Lydia é impulsiva e individualista, Kitty é uma versão da irmã anterior, Mary é uma moça que busca desenvolver seus talentos e aptidões ao máximo para obter um mínimo de reconhecimento, Lizzy é preconceituosa e tem sempre uma resposta pronta e Jane é otimista e agradável.
  A princípio, a família está preocupado com uma possível morte do pai e a perda da casa para um parente "próximo", mas logo a preocupação se dirige para o casamento de uma das filhas com um homem mais abastado que chega à região. Jane, Lizzy e seus respectivos futuros noivos são os personagens principais dessa teia de encontros, desencontros e bons modos. Aliás, este último é um fator bastante irritante, já que a todo momento os personagens se preocupam com isso.
  Os cenários não são muito bem descritos, ficando a critério do leitor imaginar como bem entender. Esses locais se resumem à casa de um, casa de outro, baile, parque/jardim. Compensando isso, os personagens são muito bem descritos psicologicamente. Ainda assim, a "mudança" rápida do sr. Darcy me incomodou um pouco. Entende-se que o livro aborda a visão de Lizzy sobre ele, mas, de fato, ele tinha algumas falhas de personalidade por ela identificadas, e a partir do meio do livro elas simplesmente desaparecem devido a mágica do amor. Desculpem-me, mas para mim isso não cola.
  Apesar de tudo, os diálogos são de uma pompa irônica muito bem construída. Orgulho e Preconceito flui devagar, mas é um livro que vale a pena ler, porque é um experiência diferente e rica para quem não conhecia esse tipo de romance.



  Segue logo abaixo meus trechos favoritos.

Movies in black and white

- E eu poderia com facilidade perdoar o orgulho dele se o meu não tivesse sido atacado.

- O orgulho é uma falha muito comum, acredito. Por tudo o que já li, estou convencida de que, na verdade, é bastante frequente, de que a natureza humana é especialmente propensa a ele e de que há muito poucos entre nós que não acalentam um sentimento de autoadmiração em relação a alguma qualidade, real ou imaginária. Vaidade e orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam com frequência usadas como sinônimos. Uma pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. O orgulho tem mais a ver com nossa opinião a respeito de nós mesmos, a vaidade, com o que desejamos que os outros pensem de nós.

- O ressentimento implacável é uma mancha num caráter. Mas o senhor escolheu bem a sua imperfeição. Realmente, não posso rir disso.

- Ele é um camarada agradável e lhe deixaria um passa-fora honroso.

- Mas essa expressão "violentamente apaixonado" é tão antiquada, tão duvidosa, tão indefinida, que não me esclarece muito. Aplica-se tanto a sentimentos nascidos de um contato de meia hora quanto a um afeto real e profundo.

- Oh! Como, de todo o coração, lamentava todos os sentimentos de desagrado que encorajara, todas as palavras insolentes que lhe havia dirigido. De si mesma, envergonhava-se; mas, dele, orgulhava-se. Orgulhava-se porque, nua causa de compaixão e honra, ele soubera dar o melhor de si.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

TAG Música Clássica


 



(5) Tumblr
 


1. As Quatro estações - Vivaldi | Um livro com muitas oscilações no enredo?

   Nefertiti e Os Mistérios do Egito. Em um momento tudo está bem, no outro tudo está mal. Em um dia, a rainha ama o rei no outro detesta. Em uma manhã se compreendem, na outra tudo é um mistério. Hoje são aliados, amanhã inimigo. E assim segue o Egito, no meio das teias de conspirações.
 
 
2. Sonata ao Luar - Beethoven | Um livro que te deixa triste/melancólico?

  A Batalha do Apocalipse. Em seu todo, o livro tem bastante aventura, ação, informação histórica. Mas conforme o fim se aproxima, tudo fica muito filosófico e nos sentimos tão pequenos e insignificantes, que dá ao livro um ar melancólico.
 
 
3. Totentanz - Franz Lizst | Um livro que você tenha medo de ler/reler?

  Eu tinha bastante medo de reler A Menina que Roubava Livros porque havia se tornado meu favorito, porém, venci meu medo e estou fazendo um especial sobre aqui para o blog. É claro que minha visão sobre ele mudou, e agora ele soa mais infantil, mas mesmo assim é uma leitura que novamente me cativa. Talvez não permaneça sendo meu favorito, mas continuará sendo uma recomendação constante.
 
Untitled | via Tumblr


4. A Midsummer Night's Dream - Wedding March- Mendelssohn | Um livro com um casal
inspirador?

  Phileas Fogg e a Sra. Aouda de A Volta ao Mundo em 80 Dias. São pessoas muito controladas e emocionalmente estáveis, mas possuem grande amor um pelo outro e só revelam isso bem ao final do livro, evitando romances que distrairiam o leitor no meio do livro. O jeito como Phileas salva a moça sem nenhum tipo de segundas intenções, apenas por ser a coisa certa, e a forma como um passa a se preocupar com o outro é incrível. Em um mundo onde as paixões são rápidas, ver esse amor crescer de forma tão singela e discreta, é algo inspirador.
 
 
 
5. Flight of the bumblebee - Korsakov | Um livro/leitura irritante?

  O Príncipe. Eu me imagino enquanto o príncipe que ganhou este livro de presente de Maquiavel e eu me sinto muito incomodada com o fato de ele estar me dando ordens disfarçadas de como governar meu reino. Eu entendo perfeitamente que se o príncipe tivesse seguido esses conselhos de melhor forma, teria tido um governo muito melhor. O grande problema é que sou uma pessoa teimosa que por pura implicância se colocou no lugar do príncipe.
 

6. Requiem - Mozart | Um livro que você não concluiu e se arrepende por isso?
 
  Eu tinha começado há muito tempo a ler O Livro da Mitologia e nunca terminei. Mas lá para Agosto, já programei que irei ler esse livro e vou dar fim a esse pequeno tormento.
 

7. Morning Good - Edvard Grieg | Um livro com um ambiente agradável? e 8. Pedro e o Lobo - Prokofiev | Uma história infantil encantadora?
 
  Não vai ser surpresa para ninguém que a escolha é Peter Pan. Durante toda essa TAG, tentei escolher livros que eu não tinha citado anteriormente em outras TAG's, ou seja, as leituras mais recentes. Mas no fim, Peter Pan aparece porque é o livro da vida.
 
 

terça-feira, 2 de junho de 2015

Abril e Maio de 2015

http://90s-b-i-t-c-h.tumblr.com/

Olimpíada de Biologia

  Fiz como quem não quer nada, mas gostei bastante da experiência pois possuía uma estrutura bem parecida com a do Enem. Cheguei a passar para a segunda fase, mas como não é minha específica e o local da prova era muito longe, deixei a oportunidade para alguém que goste mais.
  Depois houve uma olimpíada de geografia, mas infelizmente perdi a ata de inscrição.
  De qualquer forma, adorei a experiência e recomendo muito, Se esse é seu ano de vestibular, faça pois não se tem nada a perder, só a ganhar.


Alimentação de Três em Três Horas

  Reparei que tinha engordado um pouquinho. Nunca me incomodei muito com esse aspecto, mas me importo muito com a minha saúde alimentar. Reparei que o nervosismo me faz comer muito mais que o necessário e que eu não estava prestando atenção na variedade dos alimentos que eu estava consumindo. Então, resolvi me alimentar de três em três horas. Sendo, três refeições principais e insubstituíveis (café da manhã, almoço e janta) e pequenos lanches entre eles. Esses pequenos lanches não podem ser porções exageradas, com variedade entre eles e com preferência de alimentos saudáveis. Lembre-se que isso não é uma dieta para emagrecer, mas para ficar sempre atenta ao que e quanto eu estou consumindo.
  Aliás, isso não é uma recomendação, porque não sou nutricionista nem nada. Mas com esse post, intentei te fazer parar pra pensar um pouco em que tipo de alimento você consome e se isso faz bem para a sua saúde.

Popular Posts

Atualizações

  • Born To Ultraviolence será postada agora no Wattpad.
  • Capítulo 2 de Crybaby no Wattpad.
  • The Moon Over Me finalizada no Nyah!
  • The Moon Over Me está também disponível no Social Spirit.
  • Another Dead e Clever foram excluídas.

Unordered List

Tecnologia do Blogger.

Seguidores